Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Coaf aponta pagamento de Wassef a médico de Queiroz

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Relatório do Conselho do Controle de Atividades Financeiras (Coaf) aponta que o ex-advogado do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Frederick Wassef pagou R$ 10,2 mil para o urologista Wladimir Alfer, primeiro médico a atender o ex-assessor Fabrício Queiroz no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, em dezembro de 2018.

O advogado Frederick Wassef, que defendeu Flávio Bolsonaro nas investigações sobre ‘rachadinhas’. Foto: Dida Sampaio / Estadão

Na época, Querioz iniciou uma série de exames para o tratamento de câncer no intestino. O Globo teve acesso ao relatório do Coaf, que foi enviado para o Ministério Público Federal no Rio, Ministério Público do Rio e para a Polícia Federal em 15 de julho. Em mais de uma ocasião, Wassef negou ter oferecido ajuda financeira a Queiroz.

Os dados do relatório datam do período entre julho de 2015 e junho de 2020. Desde dezembro de 2018, Wassef atuava como advogado do filho do presidente Jair Bolsonaro no inquérito que apura rachadinha no gabinete de Flávio na Alerj e do qual Queiroz é apontado pelo MP como operador.

No ano passado, outra reportagem d’O Globo mostrou que Queiroz pagou R$ 133,58 mil em dinheiro pela cirurgia e tratamento de câncer a que foi submetido. Foram R$ 64,58 mil pela cirurgia e outros R$ 60 mil para pagar a equipe médica, além de R$ 9 mil para quitar um débito com um médico oncologista. Essas despesas são relativas ao período de internação para a cirurgia. Segundo os documentos do hospital, Queiroz ficou internado de 30 de dezembro de 2018 a 8 de janeiro de 2019.

Wassef não retornou aos contatos da reportagem. O advogado Paulo Emílio Catta Preta disse que só iria comentar depois de ter acesso ao relatório, o que ainda não ocorreu.