Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Com 50 mil mortos por covid-19, Bolsonaro vai a velório de paraquedista

Vera Magalhães

Exclusivo para assinantes

No dia seguinte ao Brasil superar os 50 mil mortos por covid-19 e sem fazer nenhuma declaração a respeito da trágica marca, o presidente da República, Jair Bolsonaro, viajou em avião da Força Aérea Brasileira (FAB) até o Rio de Janeiro apenas para comparecer ao velório de um soldado do Exército que morreu num acidente com paraquedas.

Bolsonaro, que serviu no grupo dos paraquedistas do Exército antes de passar cedo à reserva, ainda como capitão, em 1988, depois de ter se insurgido contra soldos militares, ter ficado preso e ter sido julgado pela corporação, adora mencionar o passado de paraquedista.

No velório, ele cumprimentou a família de Pedro Lucas Chaves, que morreu depois de saltar de um avião e seu paraquedas não abrir na base de Realengo, no Rio. Não deu declarações à imprensa e saiu pela porta dos fundos do 26° Batalhão de Infantaria Pára-quedista, na Vila Militar, zona oeste do Rio, onde foi realizada a cerimônia.