Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Comissão de Ética da Presidência arquiva denúncia contra Wajngarten

Equipe BR Político

A Comissão de Ética Pública da Presidência da República arquivou nesta terça-feira, 18, a denúncia contra o secretário especial de Comunicação Social (Secom), Fabio Wajngarten. O processo investigava um suposto conflito de interesses entre a atuação do secretário na pasta e a empresa na qual é sócio e detém 95%, a FW Comunicação e Marketing. A empresa tem contratos com emissoras como Band e Record e com agências contratadas pela própria Secom. 

O secretário especial de Comunicação Social, Fabio Wajngarten

O secretário especial de Comunicação Social, Fabio Wajngarten Foto: Anderson Riedel/PR

Apesar do arquivamento na comissão do Planalto, Wajngarten ainda é alvo de um inquérito aberto pela Polícia Federal sobre o caso, depois da revelação dos contratos pela Folha de S. Paulo. Ele se afastou da gestão da empresa quando foi para o governo, mas manteve sua participação majoritária na sociedade. O inquérito apura suposta prática de crimes de corrupção passiva, peculato, e advocacia administrativa.

A Secom emitiu nota que afirma que “ficou comprovado, com a decisão da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, de que não há conflito de interesses entre a atuação do secretário e a sua empresa.” Como você leu no BRP, Wajngarten afirmou que pensou em deixar o cargo na secretaria depois da denúncia.

A comissão, que decidiu arquivar a denúncia por quatro votos a dois, é composta por seis conselheiros nomeados pelo ex-presidente Michel Temer e um pelo presidente Jair Bolsonaro.