Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Contradições no governo quanto a isolamento social

Vera Magalhães

Exclusivo para assinantes

Não é só Jair Bolsonaro a contrariar a orientação do Ministério da Saúde, que, por sua vez, replica a recomendação da Organização Mundial da Saúde, e questionar a conduta de isolamento social e quarentena preventiva para todos os grupos sociais e etários.

Depois de o presidente dizer em entrevistas que, desta forma, a economia colapsaria e que havia “histeria” na forma de tratar a pandemia do novo coronavírus, foi a vez do ministro Paulo Guedes sugerir que o isolamento fique restrito aos idosos, como forma de não provocar um efeito tão grave na atividade econômica.

Acontece que já está demonstrado, inclusive por gráficos, e pela forma como vários países enfrentaram a epidemia, que não é eficaz isolar apenas os idosos, uma vez que o importante é achatar a curva de disseminação do vírus, ou seja, fazer com que essa propagação se dê de forma mais lenta, a fim de não colapsar o sistema de saúde –o que levaria ao maior risco de morte de vulneráveis.

A escalada no número de casos e a forma como isso impactar o sistema de saúde deverá ditar o ajuste do discurso das autoridades. Nos Estados Unidos, que servem de referência para Bolsonaro e equipe, Donald Trump também começou subestimando a covid-19, mas foi pouco a pouco intensificando as ações restritivas.