Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Corpo de cacique pode ser exumado, diz senador

Equipe BR Político

Diante de incertezas das autoridades sobre a morte do cacique Emyra Wajãpi, de 68 anos, na semana passada, no Amapá, o corpo da liderança indígena poderá ser exumado, conforme afirma o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) à revista Época. Segundo denúncia da comunidade indígena, Wajãpi foi morto por garimpeiros. Já o Ministério Público Federal no Amapá declara não haver indícios, com base em informações da Polícia Federal, de que a Terra Indígena Wajãpi tenha sido invadida por garimpeiros.

Segundo relatos colhidos pelo parlamentar na TI, “perfuraram a cabeça e a barriga dele (cacique). E também furaram os olhos e amarraram o pescoço antes de jogar no rio. Por isso que a família pensava que ele caiu e se afogou. Mas quem descobriu as perfurações foi o filho dele, que é professor”. Randolfe conta na Folha que wajãpis “foram contatados pela primeira vez somente na década de 1970. Desde então, garimpeiros adentraram essas terras para exploração de ouro e, mesmo com o povo wajãpi tendo sido amistoso, a experiência foi trágica, com disseminação de doenças (como o sarampo), conflitos e mortes”.

 

Tudo o que sabemos sobre:

WajãpiAmapáRandolfe Rodrigues