Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Correios afirmam que proposta salarial da empresa visa ‘adequação à realidade’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Após a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) convocar greve para o próximo dia 18 de agosto alegando que a estatal “não quer negociar” o ajuste salarial da categoria, e sim “destruir todas as conquistas”, a empresa afirma em nota que “a pauta de reivindicações enviada pela Fentect geraria um acréscimo de R$ 961 milhões nas despesas dos Correios, quase dez vezes o lucro do ano de 2019″.

Fachada de agência dos Correios. Polícia Federal deflagrou a Operação Postal Off para investigação na empresa

Fachada de agência dos Correios. Polícia Federal deflagrou a Operação Postal Off para investigação na empresa. Foto: Hélvio Romero/Estadão

A empresa alega que durante o mês de julho esteve em negociação com as entidades representativas dos empregados sobre os termos do Acordo Coletivo de Trabalho 2020/2021. Os Correios afirmam ainda que a proposta da empresa visa fortalecer suas finanças com a “adequação dos benefícios dos empregados à realidade do País e da estatal”.

“Os Correios esclarecem que não pretendem suprimir direitos dos empregados. A empresa propõe ajustes dos benefícios concedidos ao que está previsto na CLT e em outras legislações, resguardando todos os direitos dos empregados. Tendo em vista a realidade financeira da empresa, com um cenário de dificuldades que tem se agravado a cada ano, os Correios precisam se adequar não só ao que o mercado está praticando, mas, também, ao que está previsto na legislação”

Tudo o que sabemos sobre:

correiosFentectgreve