Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Cotado para Educação, empresário foi um dos maiores doadores em campanha de Doria

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

O atual secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, cotado como possível substituto de Abraham Weintraub no MEC, contribuiu significativamente para o surgimento de um adversário de Jair Bolsonaro. Empresário do ramo de tecnologia, ele foi um dos maiores doadores individuais na campanha de João Doria (PSDB) para Prefeitura de São Paulo em 2016, contra o então prefeito da capital paulista Fernando Haddad.

Renato Feder é cotado como possível substituto de Abraham Weintraub

Renato Feder é cotado como possível substituto de Abraham Weintraub Foto: Divulgação/Secretaria da Educação e do Esporte do Paraná

Na ocasião, Feder doou R$ 120 mil para a campanha do tucano.  Ao todo, Doria teve R$ 2,2 milhões em contribuições e ainda tirou R$ 2,6 milhões do seu próprio bolso. Após a vitória, Doria teve uma ascensão rápida dentro do partido, chegou a ser cotado como candidato à Presidência da República e acabou deixando a Prefeitura para concorrer ao governo do Estado.

Feder acabou nomeado secretário de Educação no governo de Ratinho Júnior (PSD). Agora, é um dos cotados para o MEC. Neste terça-feira, 22, ele é esperado em Brasília para conversar com Jair Bolsonaro sobre a possibilidade de assumir o cargo.