Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Covas descarta disputa pelo governo estadual em 2022

Cassia Miranda

Exclusivo para assinantes

O prefeito de São Paulo e candidato à reeleição, Bruno Covas (PSDB), votou, na manhã deste domingo, 29 num colégio na Vila Madalena, na Zona Oeste da capital. Em conversa com jornalistas, o tucano foi questionado sobre suas pretensões eleitorais e afirmou que, se sair vencedor no pleito de hoje, ficará no cargo até o fim.

O prefeito Bruno Covas. Foto: Taba Benedicto/Estadão

Ao longo da campanha, o adversário de Covas na disputa em segundo turno, Guilherme Boulos (PSOL), afirmou repetidas vezes que os candidatos do PSDB em São Paulo usam a cidade como trampolim para o governo do Estado. O psolista citava o José Serra e João Doria como exemplo. Ambos abandonaram seus mandatos no Executivo municipal para concorrer ao Palácio dos Bandeirantes.

“Quero ser eleito para entregar o cargo em 1º de janeiro de 2025”, disse Covas, ao descartar a possibilidade de concorrer em 2022 ao governo estadual.

O prefeito passará o restante do dia recolhido até o fim da apuração. Depois de anunciado o resultado, vai encontrar a militância tucana na sede estadual do partido, onde vai conceder uma entrevista coletiva.

Assim como fez Doria, o prefeito também rebateu as críticas feitas mais cedo pelo prefeito Jair Bolsonaro às urnas eletrônicas. “O voto eletrônico elegeu FHC, Lula, Dilma e Bolsonaro. Não dá para colocar em dúvida um sistema que elegeu pessoas e partidos tão diferentes. Confio na Justiça Eleitoral”, disse o tucano.