Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Covas fala em vencer ‘radicalismo’ no 2º turno

Vera Magalhães

Exclusivo para assinantes

Em seu primeiro discurso como finalista da eleição municipal de São Paulo, Bruno Covas já deu uma guinada à direita ao falar que venceu o “radicalismo” no primeiro turno e vencerá o “radicalismo” também no segundo turno, em que seu oponente é Guilherme Boulos, do PSOL, líder do MTST.

Bruno Covas, candidato à reeleição em São Paulo

Bruno Covas, candidato à reeleição em São Paulo Foto: Patrícia Cruz/Divulgação

Ele também afirmou que sua candidatura será de respeito à “lei e à ordem”, num aceno ao eleitorado de direita.

Em uma outra alfinetada no adversário, afirmou que não basta falar “bonito” ou sonhar, mas é preciso ter experiência e foco na gestão de uma cidade complexa como São Paulo.

Covas afirmou que a eleição mostrou que as pessoas querem foco na cidade, e não em ideologias. Afirmou que o resultado mostra que não se quer nacionalizar a disputa ou um candidato que seja “anti alguma coisa” e nem fazer uma revisão de 2018 ou antecipação de 2022. Nesse momento ele voltou a repetir que não se quer votar num “radical”.

Só no final do discurso ele agradeceu o apoio do governador João Doria Jr., que estava a seu lado. Falou que vai buscar os candidatos derrotados para constituir uma “frente ampla”. “O momento requer união”, declarou. “Tenho muita convicção de que vamos sair vitoriosos também no segundo turno.”