Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Covid infesta a Papuda, no Distrito Federal

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

De cada 6 pessoas contaminadas por covid-19 no Distrito Federal, uma está presa dentro do complexo penitenciário da Papuda, um dos maiores sistemas carcerários do País, informa o Estadão. Os dados oficiais do governo do DF mostram que, nesta segunda-feira, 11, a capital federal registra 2.740 casos oficialmente confirmados de contaminação pelo coronavírus. Deste total, 443 casos são de detentos da Papuda. Até a última sexta-feira, 8, pelo menos 110 policiais penais da Papuda tinham contraído o vírus e 41 tinham se recuperado, segundo a Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe). Com uma estrutura para atender 7,7 mil pessoas, o complexo tem hoje mais de 16 mil presos, acrescenta a reportagem.

Entrada do Complexo da Papuda em Brasília

Entrada do Complexo da Papuda em Brasília Foto: André Dusek/Estadão

O governo do DF alega que o alto número de detentos da Papuda com covid-19 é atribuído ao alto número de testagem que está ocorrendo na prisão. Foram realizados mais de 2,1 mil testes entre os detentos e agentes penitenciários até agora. Será concluída no dia 23 de maio a instalação de um hospital de campanha no local onde havia um campo de futebol usado pelos detentos, dentro da Papuda. A estrutura terá dez leitos equipados com suporte de ventilação mecânica e 30 leitos de retaguarda para ventilação.

De acordo com dados do Departamento Penitenciário Nacional do dia 8 de maio, 22 presos morreram em decorrência da doença em todo o País, 483 foram oficialmente contaminados e 303 são considerados suspeitos. O Distrito Federal é o ente federativo que apresenta o maior número de casos confirmados da doença no País (69,9%), apesar de ter apenas 2,2% dos presos do Brasil. Já São Paulo é o Estado que apresenta a maior população carcerária da Federação (29,9%), mas com apenas 3% dos casos confirmados.

Tudo o que sabemos sobre:

PapudacovidcoronavírusPresos