Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

CPMI das Fake News perturba bolsonaristas

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Um dos assuntos no Twitter em evidência na manhã desta terça, 28, são as reações de bolsonaristas contra qualquer rastro a favor da CPMI das Fake News. Primeiro, acusaram hoje a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) de criar milícia digital para combater o inimigo. Ela, como você acompanhou aqui no BRP, envolveu na comissão a família presidencial ao chamado “gabinete do ódio”, que, segundo ela, é financiado com dinheiro público. Depois, veio o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) contra o senador Major Olímpio (PSL-SP), lembrando que o parlamentar assinou a criação da CPMI. O filho do presidente teoriza na rede sobre o nascimento de uma “nova esquerda” capitaneada pelo ex-ministro Sérgio Moro. “O desenho está escancarado”, escreveu.

O senador respondeu com acusação já feita pelo falecido ex-ministro Gustavo Bebianno. “Seu problema é psiquiátrico e daí o desespero de seu pai com relação a você”, afirmou. O major não cita, no entanto, que a Polícia Federal identificou Carlos em inquérito sigiloso no STF como um dos articuladores do esquema criminoso das fake news, conforme mostrou a Folha. Além disso, a comissão complicou também a vida do outro filho do presidente, Eduardo, com documentos apontando que ataques de ódio teriam partido de um computador do gabinete do deputado. Sem falar do elemento novo: Moro pode falar à comissão.