Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Crítica de Moro mudou escala da audiência de Lula

Equipe BR Político

Seguindo recomendação do então juiz Sérgio Moro, hoje ministro da Justiça, os procuradores Deltan Dallagnol e Carlos Fernando dos Santos Lima, da Operação Lava Jato, teriam mexido na escala da audiência do ex-presidente Lula em 10 de maio de 2017, segundo divulgou o jornalista Reinaldo de Azevedo na Bandnews, nesta quinta-feira, 20, em parceria com o site The Intercept Brasil. Segundo a revelação, Moro estaria preocupado com o desempenho da procuradora Laura Tessler. Em supostas mensagens trocadas entre Moro e Dallagnol, o juiz recomenda que a procuradora , que estava escalada para a audiência, faça algum tipo de “treinamento”, pois em “inquirição em audiência, ela não vai muito bem”.

Depois da conversa com Moro, Dallagnol teria encaminhado a mensagem para o colega Carlos Fernando. Depois do diálogo, o MPF exclui Tessler da segunda audiência de Lula, contrariando declaração dada por Moro, ontem, na CCJ, quando afirmou que “em nenhum momento” ele teria feito alguma “solicitação de substituição daquela pessoa”, tanto que ela continua realizando audiências até hoje dentro da Operação Lava Jato”. Em nota, o Ministério da Justiça afirma que mesmo se as mensagens foram autênticas, mesmo se autêntica “nada tem de ilícita ou antiética”. E que “o texto atribuído ao Ministro fala por si, não havendo qualquer solicitação de substituição da procuradora, que continuou participando de audiências nos processos e atuando na Operação Lava Jato”.