Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Crivella segue Bolsonaro, mas prefeitos mantêm defesa da quarentena

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, é um dos poucos que seguirá as orientações do presidente Jair Bolsonaro e reabrirá o comércio em sua cidade. Em seu Twitter, ele anunciou que a partir da próxima sexta-feira, 27, começará a abrir “aos poucos” os estabelecimentos da capital fluminense. “Mas vamos conscientizar a população de que não poderá haver aglomeração”, disse, frisando ainda que, com a colaboração da população, a normalidade poderá ser restabelecida em 15 dias.

Assim Crivella vai na contramão não apenas das recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), mas se descola de boa parte das demais prefeituras do País. Em nota, a Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) avisou que as prefeituras brasileiras irão manter as medidas de quarentena e isolamento sociais já impostas.

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella Foto: Prefeitura do Rio de Janeiro/Reprodução

“Prefeitas e prefeitos entendem a postura do presidente como isolada e clamam pela necessária e constitucional liderança do Governo Federal no enfrentamento dessa pandemia. Os custos da emergência sanitária não devem sofrer qualquer restrição e podem ser financiados por endividamento público, como recomendam até organismos internacionais, como o Fundo Monetário Internacional (FMI), e os economistas mais liberais do mundo”, diz a nota.

Confira na íntegra a manifestação dos prefeitos: