Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Da Vera: A contradição do abuso de autoridade

Vera Magalhães

Jair Bolsonaro vai vetar a lei que pune abuso de autoridade? O Bolsonaro da campanha certamente subiria no palanque e diria que sim, com certeza, que os malandros e corruptos estariam tentando impedir o combate à corrupção, provavelmente num plano para levar a esquerda de volta ao poder. E o Bolsonaro presidente? Esse acusa diuturnamente instituições de controle como a Receita, o Coaf e a Polícia Federal, alguns dos alvos da lei, de perseguição contra ele, seus familiares e aliados. O presidente pessoalmente mexe peças desses órgãos a partir de conveniência política, com uma mira voltada sobretudo para a base política da família, o Rio de Janeiro –estão sob ameaça de facão o delegado da Receita no porto de Itaguaí e o superintendente da Receita no Rio, e o superintendente da PF no Rio já rodou.

Por fim, o diretor do Coaf, Roberto Leonel, deve ter seu destino selado nesta semana. Para isso, a troca de mensagens com a força-tarefa da Lava Jato revelada pela Folha e pelo The Intercept Brasil deve ser só a pá de cal num destino que já estava traçado. Diante desse novo quadro em que o combate à corrupção é condicionado a situações pessoais, a lei de abuso à autoridade vem bem a calhar. Bolsonaro deve sancioná-la com vetos pontuais. Caso isso ocorra, a atenção recairá sobre Sérgio Moro: ainda assim permanecerá ministro da Justiça? / Vera Magalhães