Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Da Vera: Bolsonaro cutuca o vice, que estava quieto

Vera Magalhães

Exclusivo para assinantes

Escrevi aqui ontem que Jair Bolsonaro resolveu fazer concorrência a Lula na organização da oposição a seu governo. Não é de hoje, aliás, que as confusões criadas pelo presidente, pelos filhos, pelos seguidores de Olavo de Carvalho e outros apêndices do bolsonarismo ganham qualquer campeonato com as que os partidos da chamada esquerda podem pensar em armar.

Mas desde a soltura de Lula, em vez de tentar reorganizar a base em torno de si, Bolsonaro tratou de retirar a pedra que impedia o castelinho do PSL de desabar e agora, do nada, desenterrou uma treta de antes da convenção de 2018 para fustigar o vice, general Hamilton Mourão, que há meses está quieto, pacificado e sem buscar o protagonismo do início do mandato.

Para quê? Essa pergunta é sempre algo difícil de responder no caso do presidente da República. A razão parece ser sempre algo como: o importante é a zuera.