Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Da Vera: Bolsonaros queimam o filme com a Fox News

Vera Magalhães

Exclusivo para assinantes

Foi um show de desinformação e falta de transparência a forma como foram tratados os procedimentos a que o presidente Jair Bolsonaro foi submetido depois de o secretário de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, ter contraído o Covid-19.

Não foram feitos relatos oficiais, não foram distribuídos boletins médicos oficiais, não se sabe ao certo nem mesmo a quantos testes para detecção do vírus o presidente foi submetido, e qual o resultado exato de cada um deles.

Em vez de informações oficiais, o que se viu, como sempre, foi a família Bolsonaro usando as redes sociais para desmentir a imprensa, desta vez a imprensa internacional, encavalar versões desencontradas e desinformar.

O pivô da lambança foi Eduardo Bolsonaro, que, no afã de se aproximar da Fox News, emissora de TV adorada por Donald Trump, aparentemente forneceu informações ou falsas ou proibidas ao correspondente-chefe da emissora na Casa Branca,  John Roberts, que o teste de Bolsonaro tinha sido positivo. Diante da repercussão, ele e o assessor especial da Presidência, Filipe G. Martins, além do próprio Bolsonaro, foram ao Twitter apontar mentira da… imprensa.

Mas a emissora norte-americana não engoliu o fato de ser tragada para o show de desinformação do bolsonarismo a que a imprensa brasileira é submetida diariamente. Eduardo foi entrevistado pela âncora Sandra Smith, que, visivelmente contrariada, o confrontou sobre o fato de ter sido ele o autor das informações erradas.

Depois, para tentar desfazer o mal estar, o deputado ainda postou em suas redes uma live tentando explicar o inexplicável, poupar a Fox News e dar uma volta bizarra para dizer que a culpa, claro, era da imprensa brasileira.

Não adiantou: a Fox News escreveu um texto bastante crítico às reviravoltas do filho do presidente, assinado por Chris Irvine, editor-sênior da emissora.