por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Da Vera: Brumadinho não mudou visão ambiental do governo

Vera Magalhães

Para além da polêmica em torno da fala de Ricardo Salles sobre Chico Mendes, o que o Roda Viva desta semana mostrou foi que a tragédia de Brumadinho não alterou substancialmente a maneira como o governo Jair Bolsonaro vê o papel do meio ambiente no desenvolvimento (em cima da qual o presidente foi eleito, como ele mesmo fez questão de ressaltar). Toda defesa que Salles faz da preservação ambiental vem acompanhada de uma adversativa –“mas”, “no entanto”, “também tem de levar em conta”. O saldo é sempre o da questão ambiental como acessória do desenvolvimento, quando não um entrave a este.

Salles não foi contundente em defender punições à Vale pelas mais de 300 mortes em Brumadinho. Continua a defender autolicenciamento ou licenciamento mais célere para projetos de “baixo impacto” ambiental –e, apesar de dizer que essa é uma classificação objetiva, não soube dizer exatamente quais projetos entrariam nessa categoria. Da mesma maneira, não soube especificar que mudanças o governo proporá nas metas com as quais o País se comprometeu no Acordo de Paris. Enquanto condenava a forma ideológica com que os governos do PT tratavam a pauta ambiental, fez considerações eivadas de viés ideológico oposto. / Vera Magalhães