por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Da Vera: Dados são ruins? Mudem-se os dados e as pessoas

Vera Magalhães

Não é só a retórica presidencial que escala de maneira preocupante rumo a um descompromisso com fatos, dados históricos, o bom senso e muitas vezes a própria noção de humanidade. São cada vez mais frequentes casos de descredenciamento de instituições, funcionários públicos e dados científicos e estatísticos quando estes contrariam as expectativas, a ideologia ou a narrativa desejadas por Jair Bolsonaro e seus auxiliares. Segue a tentativa de retorcer os dados do Inpe relativos ao desmatamento –uma série histórica de 30 anos que Bolsonaro e seu ministro de Meio Ambiente, Ricardo Salles, insistem em contestar na base do gogó, sem nenhuma evidência em contrário.

Na mesma linha, a troca de integrantes da Comissão de Mortos e Desaparecidos apenas dois dias depois da notícia, divulgada primeiramente aqui no BR18, de que esse colegiado do Ministério da Família e Direitos Humanos emitiu na semana passada o atestado de óbito de Fernando Santa Cruz confirmando que ele morreu de forma violenta e sob custódia do Estado, mostra a forma absolutamente ideológica e desprovida de razões técnicas pela qual são preenchidas vagas em conselhos sob Bolsonaro – outra das críticas mais corriqueiras ao petismo que ele repete com sinal trocado. / Vera Magalhães