Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Da Vera: Bolsonaro vai vetar farra dos partidos?

Vera Magalhães

Agora que a Câmara dobrou a aposta e decidiu dar apenas uma limpadinha no projeto do Centrão que libera geral o uso do fundo partidário pelas siglas resta a pergunta: Jair Bolsonaro vai vetar mais essa? O PSL, partido (por enquanto) do presidente, teve posição híbrida quanto à matéria: quando ela passou da primeira vez pela Câmara, participou do acordo para levá-la direto e correndo ao plenário, mas agora que as trombetas da imprensa e da sociedade soaram, o Senado recuou do acordo para arrombar a porta e a coisa voltou à Câmara, se posicionou mais firmemente contra.

O presidente da República, Jair Bolsonaro

Foto: Evaristo Sá/AFP

Bolsonaro tem a chance de marcar um gol com sua militância, que anda meio arredia desde que seu filho Flávio passou a agir abertamente para abafar a CPI da Lava Toga. Vetar um projeto claramente impopular, que permite, entre outras coisas, pagar advogado, passagem e contador com fundo partidário e ainda abre brecha para elevar o outro fundo, de financiamento das eleições, seria uma forma de o presidente se reaproximar dessa militância que votou nele embalada pelo discurso de paladino da moralidade e de “fim da mamata”.

Mas também significaria comprar mais uma briga com o Congresso, depois dos vetos, parciais mas abundantes, à Lei de Abuso de Autoridade.