Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Da Vera: O silêncio retumbante de Aras

Vera Magalhães

Exclusivo para assinantes

Onde está Augusto Aras? Não se ouve uma palavra do procurador-geral da República a respeito do motim, como tal ilegal, dos policiais militares no Ceará.

Também não se manifestou sobre a ameaça do presidente Jair Bolsonaro de retirar a operação de Garantia da Lei e da Ordem do Estado antes do encerramento do levante dos PMs: o Ministério Público Federal concorda com a ideia de se deixar a população de um Estado da federação à mercê de bandidos e de policiais que agem como bandidos?

Aras tampouco falou sobre os conflitos recentes entre o presidente e jornalistas. A liberdade de imprensa não parece ser um assunto caro ao MPF sob seu comando.

Augusto Aras, procurador-geral da República

Augusto Aras, procurador-geral da República Foto: Dida Sampaio/ Estadão

O que pensa o PGR a respeito dos projetos do Executivo para exploração comercial em áreas indígenas, uma vez que certamente o MPF vai ser chamado a ser parte nesse assunto com a escalada de conflitos relativos à questão indígena? Não se sabe, pois ele não disse.

E quanto à discussão sobre os limites de Legislativo e Executivo na destinação de recursos? Algo a dizer?

Há várias representações sendo feitas em relação à CPMI das Fake News por senadores e deputados, mas Aras ainda não se manifestou, não as respondeu.

Uma coisa é ter um estilo mais discreto que o de antecessores no cargo. Outra é transformar a Procuradoria-Geral da República numa instituição omissa, sem voz e sem atuação em casos de extremo impacto na vida nacional.

Tudo o que sabemos sobre:

Augusto ArasMPF