Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Da Vera: Os terraplanistas estão no poder

Vera Magalhães

Exclusivo para assinantes

Agora é oficial: o governo Jair Bolsonaro tem seu primeiro terraplanista confesso. Daqueles que nem duvidam: cravam que a Terra é mesmo achatada e todas as evidências em completo são uma armação da Nasa!

O guru Olavo de Carvalho já tinha deixado “em aberto” a questão da esfericidade do planeta, como se fosse tema passível de filosofia de internet. Agora, um dos seus pupilos, alçado à presidência da Funarte, o dublê de maestro e youtuber Dante Mantovani, é um terraplanista-raiz. Defendeu com veemência a convicção em um dos muitos posts amalucados que apagou dos seus perfis das redes sociais quando foi designado para comandar um cargo público pelo dramaturgo Roberto Alvim, escolhido por Bolsonaro para “desaparelhar” (sic) a área cultural do Brasil.

Mas como o print é eterno, a “obra” de Mantovani resistiu à sua tentativa de empurrá-la para debaixo do tapete. Depois do vídeo em que associa rock, satanismo, aborto, drogas e uma conspiração da extinta União Soviética para manipular por meio de engenharia social crianças e adolescentes norte-americanos, ele chega a esta síntese entre terra plana e uma conspiração da Nasa –ué, mas o governo Bolsonaro não é pró-EUA? O guru Olavo não mora na Virgínia? Alguém me ajude neste ponto– para provar uma “terrabolice” fake.

Ironias à parte (é difícil tratar com seriedade algo tão grave e desprovido de bom senso), isso não é desaparelhar, mas promover o desmonte da área cultural na bacia das almas da guerra ideológica. Um País sucumbe e regride por muitas vias, mas a do emburrecimento compulsório da sua população já foi descrita em distopias clássicas como um dos meios mais rápidos e eficazes.