Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Da Vera: Semana decisiva para Moro

Vera Magalhães

Exclusivo para assinantes

A expectativa para a volta de Jair Bolsonaro ao exercício da Presidência tem um componente especial para o ministro da Justiça, Sérgio Moro. O presidente, ao reassumir, pode definir uma novela que se arrasta há várias semanas: a da permanência ou não do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, no cargo. Moro visitou Bolsonaro no hospital, em São Paulo, no fim de semana, e fez um post telegráfico, enaltecendo a força física do presidente.

O ministro da Justiça Sérgio Moro visita o presidente Jair Bolsonaro no Hospital Vila Nova Star neste domingo

O ministro da Justiça Sérgio Moro visita o presidente Jair Bolsonaro no Hospital Vila Nova Star neste domingo. Foto: Reprodução/Twitter Sérgio Moro

A possível demissão de Valeixo, sem que haja, até aqui, nenhuma razão concreta a justificá-la, combinada com a ingerência do presidente também em superintendências da PF, como aconteceu no Rio, colocam em xeque o papel de Moro no governo. Caso perca seu homem de confiança no comando da instituição e o veja ser substituído por um nome escolhido pelo presidente –que tem manifestado preferência por Anderson Gustavo Torres, delegado da PF que atualmente é secretário de Segurança do Distrito Federal–, Moro terá de fazer um cálculo político e decidir se permanece no governo.

O ministro já tem se aconselhado com amigos e assessores sobre os prós e contras de submeter o apoio de que ainda goza na sociedade a sucessivas frituras de Bolsonaro –que costuma alternar esses processos a manifestações de apreço ao ministro, num clássico processo de “morde e assopra”.