Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Dados errados no debate da Previdência

Vera Magalhães

Em artigo publicado neste domingo na Folha, o economista Carlos Góes refuta números errados que estão sendo usados para criticar a reforma da Previdência. O principal deles é o de que mais de 80% do ganho da reforma viria em cima de quem ganha até dois salários mínimos. “O erro dessa análise é tomar a parte pelo todo: como a maior parte da economia vem do regime de aposentadoria dos trabalhadores do setor privado (RGPS), em que a aposentadoria média é baixa, conclui-se que ela vem dos mais pobres. Ela ignora que a reforma preserva os benefícios daqueles que recebem menos”, escreve.

Ele sustenta que os 19% que recebem mais de dois salários mínimos arcarão com 56% da economia da reforma. “A resistência à reforma da Previdência não se justifica por uma suposta preocupação com os mais pobres. Ao contrário, essa resistência utiliza dados falsos para atingir objetivos políticos que nada têm a ver com a proteção dos mais vulneráveis.”