Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Dallagnol se defende: ‘Tudo foi feito às claras’

Equipe BR Político

O procurador Deltan Dallagnol, em artigo publicado pelo Estadão nesta segunda-feira, 5, defendeu-se das últimas acusações de irregularidades na Operação Lava Jato apontadas pelo site The Intercept Brasil. Na semana passada, o veículo publicou uma série de mensagens, trocadas entre integrantes da força-tarefa, com indícios de que Dallagnol incentivou colegas a investigarem o ministro e atual presidente do STF, Dias Toffoli. No artigo, Dallagnol afirma que tal investigação nunca existiu, e que as apurações que implicavam autoridades com foro privilegiado eram realizadas pela força-tarefa em parceria com a Procuradoria-Geral da República e com a aprovação do STF. “Tudo foi feito às claras. Sempre que chegou alguma informação à força-tarefa de que nessa massa de dados havia algo que poderia implicar detentor de foro privilegiado, havia uma checagem a fim de verificar a subsistência mínima da informação e, sendo o caso, remeter o caso ao tribunal competente. Pesquisar ou checar a informação dentro de provas já colhidas não é um ato de investigação”, escreve.

Sobre as acusações de que teria investigado Toffoli — algo que o procurador não teria autoridade para fazer —, Dallagnol afirma que trata-se de “errônea suposição”. “Há muita gente interessada em jogar o Supremo contra a força-tarefa. A Lava Jato foi e é um empecilho para muitos corruptos poderosos”, escreve. “Estamos vendo o sistema reagir”.

Tudo o que sabemos sobre:

Deltan DallagnolLava JatoDias Toffoli