Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Damares abre interlocução do governo com CNBB

Equipe BR Político

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, foi a primeira integrante do governo Bolsonaro a ter uma reunião de trabalho com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), com a qual o presidente Jair Bolsonaro já criou atritos no passado. A ministra iniciou uma interlocução do governo com a entidade católica com aval de Bolsonaro em uma reunião na última quarta-feira, 19, informa o Estadão.

A ministra da Familia e Direitos Humanos, Damares Alves

A ministra da Familia e Direitos Humanos, Damares Alves Foto: Dida Sampaio/Estadão

A reunião, agendada de última hora, ocorreu uma semana depois de o papa Francisco receber o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Vaticano. Ao sair da reunião com a cúpula da CNBB, a ministra evangélica afirmou: “Ai da política se não fosse a Igreja”. Em governos anteriores, bispos tinham mais representação no Planalto.

Durante a campanha eleitoral à Presidência, Bolsonaro apareceu em vídeo dizendo que a entidade que é comandada pela ala do clero que atuou contra o regime militar, considerada progressista, era “a parte podre da Igreja Católica”.

Depois da redemocratização, bispos tinham canal direto no Planalto e eram recebidos por presidentes. No governo Dilma Rousseff, a entidade tinha assento no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Conselhão.

Tudo o que sabemos sobre:

CNBBDamares AlvesIgreja Católicagoverno