Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Damares demite responsável por assinar contrato suspeito

Equipe BR Político

Depois da queda de Osmar Terra do Ministério da Cidadania, a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, exonerou nesta sexta-feira, 14, Paulo Roberto de Mendonça e Paula, responsável por assinar um contrato de R$ 7 milhões com uma empresa de tecnologia suspeita de ser usada como laranja para desviar dinheiro dos cofres públicos. A contratação dessa empresa irritou o presidente Jair Bolsonaro e levou à demissão do ministro.

Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos

Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Mendonça é aliado de Terra. A saída dele do cargo de subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administração foi a pedido do próprio Mendonça, segundo portaria publicada hoje no Diário Oficial da União.

A demissão ocorre um dia depois de o Estadão mostrar que, apesar de Terra ter afirmado que demitiu toda a equipe responsável por contratar a Business to Technology (B2T) no Ministério da Cidadania, quatro funcionários continuavam com cargos no governo. A pasta de Terra fez a contratação mesmo após alertas feitos por duas empresas concorrentes e por órgãos de controle sobre suspeitas de irregularidades envolvendo a B2T. Na semana passada, a empresa foi alvo da Operação Gaveteiro, da Polícia Federal, que investiga o desvio de R$ 50 milhões do extinto Ministério do Trabalho entre 2016 e 2018, na gestão de Michel Temer.