Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Datas de negócios de Flávio Bolsonaro divergem

Vera Magalhães

As datas dos pagamentos em dinheiro de um imóvel vendido por Flávio Bolsonaro registradas em escritura divergem dos 48 depósitos fracionados de R$ 2.000, no total e R$ 96 mil, encontrados pelo Coaf em sua conta em junho e julho de 2017. As divergências constam de reportagem do jornal O Globo, que teve acesso à escritura. Lá está consignado que R$ 600 mil dos R$ 2,4 milhões da venda do imóvel foram pagos em dinheiro, respectivamente em março e agosto daquele ano. As datas, portanto, não coincidem com os 48 depósitos pingados.

O comprador, Fábio Guerra, procurado pelo jornal, reafirmou que parte dos R$ 600 mil foi paga aos poucos, em datas das quais diz não se recordar exatamente, ao longo de dois ou três meses. “Eu dei assim em dois ou três meses. Não dei R$ 100 mil de uma vez só não, entendeu? Eu vendi um imóvel no passado para poder pagar ele. Eu peguei parte em dinheiro (da venda) também e dei para ele.”