Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Debate mostra democratas ainda perdidos

Vera Magalhães

O primeiro debate entre pré-candidatos do Partido Democrata à presidência dos Estados Unidos mostrou que há seis postulantes, mas nenhum projeto claro ou mensagem poderosa por parte dos oponentes de Donald Trump para derrotá-lo nas eleições presidenciais dos Estados Unidos neste ano.

Os democratas concordam em rotular Trump como o pior presidente da história recente dos Estados Unidos, têm um processo de impeachment correndo contra ele sob o comando de uma de suas filiadas, Nancy Pelosi, condenam a política externa do presidente, mas não avançam em propostas para mostrar como fariam diferente ou melhor.

Além disso, a divisão do partido entre vários pré-candidatos sem identidade forte e a prevalência de discursos à esquerda, como o de Bernie Sanders, quando o País vive um período de crescimento e de emprego em alta sob Trump enfraquecem o discurso de alternância que os democratas tentam emplacar.

O embate entre Elizabeth Warren e Bernie Sanders dominou a cena em Des Moines. Em resposta ao correligionário, que subestimou as chances de mulheres contra Trump, Warren disse que as únicas pessoas naquele palco que venceram todas as eleições contra republicanos que disputaram nos últimos 30 anos foram mulheres: ela e Amy Kobluchar.

Apesar de ter sido considerada a “vencedora” do embate por jornais e emissoras dos EUA, Warren é vista com ceticismo como candidata forte o suficiente para vencer Trump, nesta que promete ser a eleição com o debate mais acirrado da história do País.

Tudo o que sabemos sobre:

eleição americanaEUAdebatedemocratas