Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Decotelli promete rever dissertação e mudar seu currículo

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Após um sábado no qual possíveis plágios em seu trabalho de mestrado e a validade de seu pós-doutorado foram postos em xeque, o ministro da Educação, Carlos Decotelli, emitiu uma nota prometendo tomar providências. Sobre o plágio, revelado pelo economista Thomas Conti, o ministro rechaçou que tenha copiado trechos de outros trabalhos e que “não houve dolo”. Prometeu ainda rever a dissertação para, identificadas eventuais omissões, dar o crédito aos autores. Como mostrou o BRPolítico, Conti apontou que trechos inteiros do trabalho eram transcrição de um relatório do Banrisul para a Comissão de Valores Imobiliários.

“O ministro destaca que, caso tenha cometido quaisquer omissões, estas se deveram a falhas técnicas ou metodológicas. Informa também que, ainda assim, por respeito ao direito intelectual dos autores e pesquisadores citados, revisará seu trabalho e que, caso sejam identificadas omissões, procurará viabilizar junto à FGV uma solução para promover as devidas correções”, afirmou o MEC em nota.

Sobre o pós-doutorado na universidade alemã Wuppertal, que durou três meses e, como mostrou o Estadão, não é considerado um título pela instituição, Decotelli admitiu que não recebeu títulos decorrentes de sua pesquisa. No Brasil, o pós-doutorado não é considerado um título, mas exige a conclusão de um doutorado.

Tudo o que sabemos sobre:

Carlos DecotelliMinistério da Educação