Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Defensoria do PR vai rever sentenças de juíza Inês Zarpelon

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Uma força-tarefa foi convocada pelos núcleos de Cidadania e Direitos Humanos e de Política Criminal e Execução Penal da

para fazer a revisão técnica das sentenças condenatórias proferidas nos últimos 12 meses pelo juízo da 1ª Vara Criminal de Curitiba. A medida se dá em razão da decisão em que a juíza Inês Marchalek Zarpelon, ao calcular a pena de Natan Vieira da Paz, homem negro de 42 anos, afirmou: “Seguramente integrante do grupo criminoso, em razão da sua raça”.

A convocação de defensores públicos foi publicada em nota divulgada pela Defensoria na última quarta, 12.  No texto, os defensores públicos dizem que “não se pode tolerar, de nenhuma forma e de quem quer que seja, que a raça ou a cor da pele de uma pessoa seja motivo de valoração negativa ou influencie presunções sobre sua conduta e sua personalidade, tampouco que fundamente juízo condenatório ou maior repressão pena”.

Segundo a Defensoria, a força-tarefa visa verificar se há outros casos similares ao de Natan que não vieram a público. O prazo do edital de convocação se encerra nesta sexta, 14.