Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Defesa diz que não houve quebra de sigilo fiscal

Equipe BR Político

A defesa de um dos servidores da Receita Federal que acessaram ilegalmente os dados sigilosos do presidente Jair Bolsonaro afirmou a O Globo que o cliente, que vem a ser irmão do advogado, disse à Polícia Federal não ter facilitado vazamento dos dados, que não houve quebra de sigilo fiscal e que o ato foi uma brincadeira. “Ele relatou (à PF) que foi um acesso involuntário, sem maldade, sem quebra de sigilo, sem nada de transferir informações. Foi uma besteira, sem maldade, sem medir as consequências da atitude”, disse Yamato Ayub.

Na noite de ontem, o presidente Jair Bolsonaro associou o caso a motivações eleitorais e a irmã do servidor, a deputada federal Norma Ayub (DEM-ES), pediu uma audiência neste sábado, 6, com o ministro da Justiça, Sérgio Moro, segunda a Folha.

Tudo o que sabemos sobre:

receitaBolsonaro