Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Deltan pode ‘cair para cima’

Vera Magalhães

Diante do desgaste sofrido pelo coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, desde a divulgação de um conjunto de mensagens trocadas entre ele, colegas e o ex-juiz Sérgio Moro e obtidas pelo hackeamento do aplicativo Telegram, colegas seus discutem uma estratégia para blindá-lo de tentativas de punição disciplinar e de afastá-lo da Lava Jato. Reportagem do Estadão mostra que um caminho defendido por alguns aliados seria ele se candidatar a uma promoção por merecimento a procurador regional, o que abriria de maneira honrosa a possibilidade de sucessão na coordenação da operação.

Deltan ainda não estaria convencido a topar uma saída em que “cairia para cima”, ou seja: seria promovido como forma de disfarçar o fato de que, na verdade, estaria sendo tirado de cena. Ele lançou nas últimas semanas uma estratégia mais proativa de se defender das tentativas de desgastar a Lava Jato e a ele próprio. Intensificou entrevistas e a publicação de artigos em que refuta as acusações de cometimento de abusos por parte do MPF na operação e reforça o legado positivo da Lava Jato.

Mas o CNMP tem duas representações contra ele abertas, e o novo procurador-geral, Augusto Aras, tem sido dúbio quanto ao andamento que dará à condução dessas queixas e ao futuro da Lava Jato. Existem 5 vagas de procurador regional abertas por merecimento, e uma a mais deve ser aberta até o fim do ano.