Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Demarcação deixará de ser ‘ideológica’, diz presidente da Funai

Equipe BR Político

Há quatro meses no cargo, o presidente da Funai, Marcelo Augusto Xavier, quer modificar os critérios para demarcação de terras indígenas porque, em sua avaliação, houve demarcações feitas de forma “ideológica e açodada”. Segundo ele, “tem muita terra para pouco índio” no Brasil.

“Não vai haver liberação açodada e ideológica. Mas onde houver direito (à demarcação), há direito”, disse em entrevista ao jornal Valor. Ele garantiu, no entanto, que a Funai dará continuidade aos processos de demarcação, para isso, seguirá critérios “exclusivamente técnicos e científicos”.

Escolhido com a bênção da bancada ruralista, Xavier, que é delegado da Polícia Federal negou que esteja no cargo para atender aos interesses do setor. Ele afirma que seu principal objetivo à frente da Funai é “dar dignidade aos índios”. Além do maior rigor nas demarcações, ele diz que pretende incentivar as comunidades indígenas a produzirem em suas terras. “Hoje o protagonismo está na terra, não nos índios. Queremos incluir e dar dignidade a eles”, disse.