por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Demissão de chefe do Inpe é ‘alarmante’, diz pesquisador da Nasa

Equipe BR Político

Na avaliação do diretor do Laboratório de Ciências Biosféricas no Centro de Voos Espaciais da Nasa, Douglas Morton, a demissão de Ricardo Galvão da direção do Inpe é “significativamente alarmante”, pois “reflete como o atual governo brasileiro encara a ciência”. O pesquisador também é professor-adjunto da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos. Ele vem acompanhando nos últimos 18 anos a dinâmica de desmatamento nas fronteiras agrícolas na Amazônia e no Cerrado. A exoneração de Galvão está publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 7. Sua demissão ocorreu na última sexta-feira.

“Não acredito que o presidente Jair Bolsonaro duvide dos dados produzidos pelo Inpe, como diz. Na verdade, para ele, são inconvenientes. Os dados são inquestionáveis”, acrescenta. Ontem, o instituto divulgou novos e alarmantes números sobre o desmatamento na floresta. Em julho deste ano, a devastação do bioma cresceu quase 300% em relação ao mesmo mês de 2018. Foram 2.254,9 quilômetros quadrados de floresta devastados. Em relação ao mesmo período do ano passado, o aumento do corte raso foi de 278%. Segundo Morton, em entrevista à BBC News Brasil, a atuação do Inpe é “extremamente técnica e cuidadosa”, afirmou.