Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Depois de ‘escorregada’, articulação ‘entrou nos trilhos’

Equipe BR Político

Na avaliação do presidente do Bradesco, Octavio Lazari, houve uma “escorregada” na tramitação da reforma da Previdência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, e isso vai custar parte do crescimento da economia brasileira esperado para 2019. “Quanto será o PIB do primeiro trimestre? Será 0%, no máximo meio ou até negativo. O segundo pode ser que tenha uma recuperação. Vai depender do que a gente conseguir encaminhar da reforma, porque o País tem capacidade de crescimento”, apontou Larazi em entrevista ao Broadcast Político.

Para ele, articulação política do governo de Jair Bolsonaro para emplacar a Nova Previdência demorou mais do que o esperado, mas “começou a entrar nos trilhos” com a aprovação da PEC na CCJ, avaliou. “Nós gostaríamos que ela tivesse acontecido antes, dentro do primeiro trimestre, para que a gente tivesse mais três meses e até o final de junho já tivesse resolvido no Congresso. Mas isso escorregou e estamos no fim de abril. Deve se estender até o final de agosto, começo de setembro. Observe que são quase três meses a mais que a gente perde de benefícios fiscais que isso nos traria, mas acho que agora entrou numa rota de solução”.