Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Depois do MBL, Partido Novo vira alvo de bolsonaristas

Vera Magalhães

O embate entre o presidente Jair Bolsonaro e deputados ligados ao MBL ganhou novos capítulos no fim de semana e engolfou também o Partido Novo –cujo líder, Marcel Van Hattem (RS) passou a ser chamado de “Van Rato” pelos militantes virtuais bolsonaristas em uma série de posts agressivos.

O motivo dos novos capítulos do embate foi o fato de deputados próximos do MBL, como Van Hatten e Kim Kataguiri, terem acusado Bolsonaro de ter elevado o fundo de financiamento eleitoral. O próprio Bolsonaro foi ao Twitter ironizar Kataguiri, dizendo que, pela lei que pune a denunciação caluniosa com fim eleitoral (cujo destaque para a derrubada de um veto do presidente foi do deputado do MBL), Kataguiri poderia ser condenado a uma pena de dois a oito anos de prisão.

O fato de Van Hattem, que frequentemente aparece em fotos ao lado de Bolsonaro e tem orientado a bancada a favor de várias votações de interesse do governo, sobretudo na área econômica, ter virado alvo de uma campanha tão violenta mostra que nem a direita escapa da máquina de moer reputações do bolsonarismo –cujas baterias também se voltaram neste fim de semana contra o apresentador Danilo Gentili.