Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Do plenário, deputado oferece R$ 10 mil a pistoleiro

Equipe BR Político

O deputado estadual e capitão aposentado da Polícia Militar do Espírito Santo, Capitão Assumção, ofereceu R$ 10 mil para quem matar o autor do assassinato de uma mulher na frente da filha, em Cariacica (ES).  Com imunidade parlamentar, Assumção fez a oferta do plenário da Assembleia Legislativa do Estado, na quarta, 11. “R$ 10 mil do meu bolso para quem mandar matar esse vagabundo. Isso, não merece estar vivo não. Eu tiro do meu bolso para quem matar esse vagabundo aí”, vociferou.

Capitão Assumção, deputado estadual e capitão aposentado da Polícia Militar do Espírito Santo, exibe arma

Em seu perfil do Instagram, deputado estadual Capitão Assumção mostra arma. Foto: Reprodução

Ele adiantou que não vale informar o local onde está o assassino. “Tem que entregar o cara morto, aí eu pago. Porque vagabundo, vagabundo, que tira a vida de inocente vai lá usar o sistema para ser beneficiado?”, acrescentou.

Assumção, aliado do presidente Jair Bolsonaro, foi preso em fevereiro de 2017 por estar na linha de frente de um motim de policiais militares do Espírito Santo com a divulgação de áudios e vídeos em redes sociais. Durante o movimento, que durou de 4 a 14 de fevereiro, 181 homicídios ocorreram na Grande Vitória e em cidades do interior. Quando era deputado federal, foi braço direito de Bolsonaro no debate de segurança pública na Câmara entre 2009 e 2011.

Publicações do próprio Bolsonaro atingiram recordes de visualizações nos dez dias de paralisação de 2017. Apenas um vídeo divulgado pelo deputado no dia 6 de fevereiro, terceiro dia do motim, foi visualizado por 2 milhões de pessoas. Nele, Bolsonaro critica o governo do Estado, defende a polícia, alerta para a possibilidade de o movimento se espalhar para outros Estados e faz propaganda do nome de Assumção, que, segundo aliados, almejava voltar à Câmara em 2018, conforme informou o Estadão à época. Para o advogado e professor de direito Raphael Boldt, ouvido pelo G1, a fala de Assumção se enquadra em crime previsto no artigo 286 do Código Penal, que trata de incitação pública ao crime.

Assista ao deputado contratando um pistoleiro por R$ 10 mil:

Tudo o que sabemos sobre:

Capitão Assumçãoespírito santo