Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Deputado do Novo contesta uso de cartão corporativo do presidente

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O deputado federal Vinicius Poit (NOVO-SP) protocolou, na manhã desta segunda feira, 11, um requerimento na Câmara dos Deputados de informações sobre os gastos com o cartão corporativo da Presidência da República. Conforme você acompanha aqui no BRP, o Estadão mostrou que os gastos com esse cartão, usado para bancar despesas sigilosas do presidente Jair Bolsonaro, dobraram nos quatro primeiros meses de 2020, na comparação com a média dos últimos cinco anos. A fatura no período foi de R$ 3,76 milhões, valor que é lançado mensalmente no Portal da Transparência do governo, mas cujo detalhamento é trancado a sete chaves pelo Palácio do Planalto. Por isso, não é possível checar o peso que a operação para resgate dos brasileiros na China teve na fatura total.

O deputado Vinicius Poit

O deputado Vinicius Poit Foto: Najara Araújo/Câmara dos Deputados

O chefe do Planalto rebateu que parte do valor foi usado para custear a operação de resgate de brasileiros na China feita pela FAB. “O presidente argumentou que os gastos são relativos à repatriação de brasileiros que estavam na China. Queremos a comprovação dos gastos. São R$ 700 mil por mês. Precisamos de economia e respeito com o dinheiro do pagador de impostos, especialmente em época de pandemia”, disse o parlamentar.