Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Deputados com 2ª instância nas mãos criticam ‘convocação’ de Bolsonaro

Gustavo Zucchi

Os dois deputados que estão comandando a comissão especial que discute a PEC da segunda instância se manifestaram contra a convocação do presidente Jair Bolsonaro para os atos do próximo do dia 15 de março. O presidente da comissão, Marcelo Ramos (PL-AM), se solidarizou com ataques que a editora do BRP Vera Magalhães sofreu após divulgar as mensagens de Bolsonaro e avisou que o presidente “precisa ser chamado a responsabilidade institucional do cargo”.

“Câmara e o Senado devem deixar claro que não temem esses arroubos autoritários do presidente e da sua base. A resposta a quebra da institucionalidade deve ser dada dentro da institucionalidade”, disse.”São essas atitudes do presidente flertando com o autoritarismo que dão a senha para ataques covardes da sua milícia digital a qualquer um que se oponha a essa sanha autoritária”, completou Ramos.

Já o relator da PEC, deputado Fábio Trad (PSD-MS), catalogou o ato presidencial como um possível “crime”. “O caminho para resolver conflitos entre os poderes (orçamento impositivo) passa pelo diálogo republicano e institucional. Isto é política. Já o ato de propagar vídeo que criminaliza o legítimo funcionamento de um poder constituído é, no mínimo, leviano. Isto é crime.

Tudo o que sabemos sobre:

Marcelo ramosfábio tradJair Bolsonaro