Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Deputados condenam uso de gás de pimenta na Alesp

Equipe BR Político

Servidores que protestaram na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) contra a reforma da previdência estadual na manhã desta terça-feira, 3, e deputados da Casa afirmaram que policiais da Tropa de Choque da PM-SP jogaram gás de pimenta nos servidores dentro do prédio da Alesp. Durante sessão extraordinária para votar a proposta nesta terça, 3, a deputada estadual Beth Sahão (PT) criticou a atuação dos agentes. “Está cheio de gás de pimenta. O pessoal não está conseguindo ficar dentro dos gabinetes. Trata-se servidor público como se fosse ladrão”, disse a parlamentar durante seu pronunciamento na tribuna. O texto foi aprovado por 59 votos a 32.

Tropa de choque na Alesp tenta conter manifestantes contrários à reforma da Previdência dos servidores estaduais

Tropa de choque na Alesp tenta conter manifestantes contrários à reforma da Previdência dos servidores estaduais Foto: Tulio Kruse/Estadão

Vídeo publicado pelo deputado federal Carlos Zarattini (PT-SP), mostra o conflito entre a Tropa de Choque e os manifestantes dentro do prédio da Assembléia.

“Os ditadores Doria e Cauê Macris (presidente da Alesp) colocaram a #TropaDeChoque para bater, agredir e jogar gás de pimenta em professoras, enfermeiras e todos os servidores nos corredores do parlamento! Isso é #democracia???”, escreveu o deputado Carlos Giannazi (Psol) no Twitter. 

Monica Seixas (PSOL), co-deputada da bancada ativista na Alesp, também escreveu sobre a situação. “Trabalhadores do estado ocupam todos os corredores da ALESP para protestar contra a reforma da Previdência e são recebidos com gás de pimenta pelo governo.”