Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Descoberto autor do ‘desastroso’ termo ‘Plano Marshall brasileiro’

Alexandra Martins

Exclusivo para assinantes

O ministro Paulo Guedes deu um esculacho em ministros que inicialmente apelidaram o plano Pró-Brasil de “Plano Marshal brasileiro”. Veja reprodução da sua participação, conforme vídeo da reunião ministerial do #22A:

“Eu queria fazer a primeira observação, é o seguinte, não chamem de Plano Marshall porque revela um despreparo enorme”.

“Plano Marshall é um desastre. Eu… ma … revela despreparo nosso. Plano Marshall, por exemplo, os Estados Unidos podem fazer um Plano Marshall para nos ajudar”.

“A China (TARJA PRETA) deveria financiar um Plano Marshall para ajudar todo mundo que foi atingido. Então a primeira inadequação, a gente tem que tomar muito cuidado é o seguinte, é o plano Pró-Brasil”.

  • Antes da fala acima, Braga Netto tentava descontrair o ambiente sobre a gênese do Pró-Brasil:

“Tá … eu estava conversando com diversos ministros, entre eles Rogério Marinho, o Tarcísio, inclusive o nome do plano eu roubei de um plano do Tarcísio, não é Tarcísio, né? Pedi autorização a ele e roubei. É um Plano Marshall brasileiro, né?”

Gestado pelas nações vencedoras da Segunda Guerra, o Plano Marshall foi lançado pelo ex-presidente dos Estados Unidos Henry Truman para socorrer países europeus destroçados pelo massacre por meio de empréstimos a juros baixos, em julho de 1947. Stálin desconfiou de eventuais intenções “expansionistas” e não aderiu. Vigorou até 1951.

  • Guedes vira a página, mas não sem antes registrar o que não esqueceu:

“Fundamental a coordenação. Até pra não sair na imprensa …  … o que está saindo. Porque saiu na imprensa assim: “Plano Marshall, e Economia tá fora”. Quer dizer alguém …”

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

Plano Marshal