Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Destaques do dia: Como será o amanhã

Equipe BR Político

Futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni monopolizou as atenções do dia ao fazer vários anúncios em nome do futuro governo. Ele disse que a reforma da Previdência será feita “com vagar”, que a futura gestão terá 22 ministérios e que ele vai concentrar a função de articulador político do governo com o Congresso, uma vez que, até a semana passada, havia dúvidas no ar sobre o tema. Também afirmou que a Funai deve sair do guarda-chuva da Justiça para ser abrigada no Ministério da Agricultura. A pasta do Trabalho deixará de ter status de ministério, o que não escapou de críticas da oposição. Já o Meio Ambiente segue sem ministro, mas o advogado Ricardo Salles obteve apoio hoje da Fiesp para ocupar o cargo.

Outro porta-voz informal do novo governo, o general Mourão recomendou cuidado com segurança caso o presidente eleito queira desfilar de carro aberto na cerimônia de posse, já que Jair Bolsonaro recebeu ameaças “até há 15 dias”. O vice preferiu não comentar sobre a ida do chefe ao jogo do Palmeiras no domingo.

No Legislativo, a disputa é pelo comando da CCJ. No páreo estão parlamentares do Centrão e do PSL. No Judiciário, o Supremo julga amanhã mais um pedido habeas corpus para que Lula seja libertado. Quer saber ainda sobre o destino de tesouro da Guiné Equatorial apreendido no Brasil? Fique com o BR18.

Tudo o que sabemos sobre:

Onyx Lorenzoni