Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Dilma diz que Maia ‘não tem compromisso com a democracia’

Cassia Miranda

Exclusivo para assinantes

Após o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmar que mantém sua convicção sobre a legalidade da aprovação do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e dizer que não tem elementos para abrir um processo semelhante contra o presidente Jair Bolsonaro, a petista reagiu e afirmou, em nota, que o parlamentar “não tem compromisso com a democracia“.

Pronunciamento de Dilma no Senado Federal depois do impeachment. Foto: Dida Sampaio/Estadão

“Seu compromisso é com a manutenção da atual política econômica, responsável pelo aumento da desigualdade social e com a agenda neoliberal nefasta imposta pelo ministro Paulo Guedes”, diz trecho da nota. O processo contra a petista foi aberto em dezembro de 2015 pelo então presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ), que desde 2016 cumpre pena na Lava Jato. Maia, no entanto, deu voto favorável à destituição de Dilma na sessão que determinou seu afastamento.

Em entrevista ao programa Roda Viva na última segunda-feira, Maia disse não ver “nenhum crime” nas ações de Bolsonaro. Mais de 50 pedidos de impeachment já foram protocolados na Câmara contra o chefe do Executivo. No texto, Dilma afirma que Maia parece não se sensibilizar pela negligência do governo no combate à pandemia ou pelo apoio presidencial às manifestações antidemocráticas.

“O parlamentar diz não ter convicções para apoiar um processo de impeachment contra um genocida como Jair Bolsonaro, mas não se furtou a defender meu afastamento do governo, mesmo sem crime de responsabilidade, como determina a Constituição Federal. Certamente porque as supostas divergências políticas que diz ter com Bolsonaro são de pequena monta já que não o impedem de manter cargos na estrutura do atual governo. Ou ainda assegurem que sua conduta dócil não afronte aos interesses reais das tropas bolsonaristas. Rodrigo Maia dança conforme a música”, aponta em outro trecho.