Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Dino: ‘O governante já não consegue demitir seus ministros’

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

Para o governador do Maranhão, Flávio Dino, já não há dúvida que o País enfrenta uma “crise de governabilidade”. Para ele, uma das evidências do problema é a contestação aberta entre as posições defendidas por Jair Bolsonaro para lidar com o coronavírus que são contrariadas pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, com apoio de outros ministros expressivos como Sérgio Moro e Paulo Guedes.

O governador do Maranhão, Flávio Dino

O governador do Maranhão, Flávio Dino Foto: Werther Santana/Estadão

Seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e de outras autoridades médicas, Mandetta tem defendido a adoção do maior isolamento possível para deter o avanço do coronavírus e recebeu apoio maciço dos governadores e prefeitos. Bolsonaro, ao contrário, ficou praticamente sozinho na defesa do relaxamento da quarentena. E mesmo contrariado pela linha adotada por seu subordinado Mandetta sabe que seria um desastre político demití-lo nessa situação.

“Mais um grande sinal de crise de governabilidade: o governante já não consegue demitir seus próprios ministros. Não os coordena, não os suporta, mas não tem força para fazer substituições. Passada a crise sanitária, Brasil vai ter que encontrar saída para a crise institucional”, afirma Flávio Dino.