Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Diretor definitivo do Inpe só em setembro?

Gustavo Zucchi

O Inpe, que esteve no meio das polêmicas ambientais do governo de Jair Bolsonaro, só deve ter um diretor efetivo em setembro. É quando terminaria o mandato de Ricardo Galvão no comando do instituto, se ele não tivesse sido exonerado no ano passado após brigar publicamente com o presidente da República. A assessoria de imprensa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Comunicação reforçou ao BRP que o novo diretor será indicado por um comitê de busca, que deve ser constituído apenas seis meses antes da data que seria o fim do mandato de Galvão. Isto seria em março deste ano.

Até lá, Darcton Damião deve continuar exercendo o cargo. Ele está no comando do Inpe desde agosto, quando assumiu no lugar de Galvão. A expectativa, então, era de que o comitê fosse convocado ainda em 2019. Em setembro, durante participação em comissão no Senado, o ministro Marcos Pontes admitiu que não tinha “pressa nenhuma” em bater o martelo para definir o novo diretor definitivo. O mandato no Inpe é de 48 meses.