Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Diretor-executivo da OMS é questionado sobre Bolsonaro

Cassia Miranda

Exclusivo para assinantes

Um dia após o presidente Jair Bolsonaro ter distorcido uma fala do diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus, durante pronunciamento em rede nacional, o chefe da organização foi questionado durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 1, sobre a declaração do brasileiro.

Coletiva da OMS nesta quartaColetiva da OMS nesta quarta

Coletiva da OMS nesta quarta Foto: Reprodução/Youtube OMS

A pergunta, feita por um jornalista brasileiro, não foi respondida por Ghebreyesus, mas sim pelo diretor-executivo da OMS, Michael Ryan. O movimento pode ser interpretado como uma maneira de evitar polêmicas entre a instituição e o governo brasileiro. “Eu acredito que a mensagem que a OMS tem dado a todos os países é de que precisamos de uma estratégia que funcione para todos para batalharmos contra essa doença”, disse Ryan.

O executivo não direcionou a reposta a Bolsonaro, preferiu reforçar as recomendações feitas pela OMS nas últimas semanas. Entre elas, o isolamento social, o engajamento da sociedade e o fortalecimento dos sistemas de saúde. “Esse é um conselho que temos dado para todos os países, não só para o Brasil”, finalizou Ryan.