Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Disputa pelo Orçamento na volta da folia

Vera Magalhães

A disputa pelo controle maior ou menor do Executivo sobre o Orçamento vai dominar a volta do carnaval. Neste sábado, o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, general Luiz Ramos, se insurge em entrevista ao Estadão contra as críticas que recebeu de colegas de governo e disse que só negociou com o Congresso a questão das emendas impositivas com aval do presidente Jair Bolsonaro e do ministro Paulo Guedes.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), adiou reuniões que decidiriam sobre a votação, pelo Congresso, de veto de Bolsonaro ao Orçamento mais impositivo enquanto negocia um acordo com o governo.

Reportagem do Globo neste sábado mostra que, da forma como o Congresso operou, o relator do Orçamento, Domingos Neto, tem maior poder de deliberar sobre gastos que seis ministros de Bolsonaro.

Apoiadores do governo usam o feriado para bombar a convocação de um ato contra o Congresso que tem a questão do Orçamento como pano de fundo. A hashtag #SomosTodosBolsonaros tem sido usada para obter apoio às manifestações, convocadas a partir do desabafo do general Augusto Heleno, que chamou os congressistas de “chantagistas” em conversa com colegas que vazou na última semana. Mensagens aplaudindo a fala de Heleno proliferam nas redes sociais.