Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Apontado plágio em dissertação de novo ministro da Educação

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O economista Thomas Conti apontou em seu Twitter o que seriam possíveis indícios de plágio do novo ministro da Educação, Carlos Decotelli. Conti verificou que existem longos trechos idênticos na dissertação de mestrado de Decotelli na FGV com um relatório do Banrisul para a Comissão de Valores Imobiliários (CVM).

“Para quem não tem familiaridade com o mundo acadêmico, embora a dissertação dele seja sobre a governança corporativa do Banrisul, não se copia e cola trechos escritos por outra pessoa sem deixar claro que é uma citação e de onde vem a citação. Ainda mais em trechos longos assim”, afirmou Conti.

“Como são muitos trechos idênticos, busquei se ele poderia ter trabalhado na elaboração do relatório que consta na CVM. Mas aparentemente não. Segundo currículo de Decotelli, ele foi professor no Banrisul de 2004 a 2005. O registro na CVM é de 13/02/2008 e não há menção a ele.”

O professor do Insper ainda submeteu o texto de Decotelli a um software que identifica similaridades entre textos, utilizado no meio acadêmico para encontrar possíveis plágios. Cerca de 12% da dissertação do ministro seria idêntica ao relatório para a CVM. Conti ainda aponta que outros trechos parecem saídos um artigo de Clóvis L. Machado da Silva e coautores de 1998. O artigo é citado na bibliografia, mas não quando parágrafos inteiros são utilizados em meio ao texto.

O Ministério da Educação foi procurado, mas ainda não se manifestou.