Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Do Marcelo: 48 horas após virar base, Centrão já traz denúncia para conta do governo

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

Bastaram 48 horas depois de receber seu primeiro cargo de peso dentro do governo para que um dos parlamentares do Centrão fosse alvo de uma operação da Polícia Federal que apura desvio de recursos públicos. A PF deflagrou nesta sexta, 8, em Pernambuco, a segunda fase da Operação Outline e um dos investigados é o deputado Sebastião Oliveira (PL-PE), que teve três de seus endereços verificados em ações de busca e apreensão.

O deputado Sebastião Oliveira

O deputado Sebastião Oliveira Foto: Câmara dos Deputados

A conta política que Oliveira já entrega para o governo dentro do velho esquema do toma lá, dá cá, ressuscitado por Jair Bolsonaro em troca de apoio do Centrão, é que ele foi, justamente, o primeiro deputado a ganhar um cargo de peso no acordo. Numa operação política acertada pelo PP com o governo Bolsonaro, coube a Oliveira indicar o novo presidente do Dnocs, o que foi sacramentado no Diário Oficial da União, no dia 6.

O cargo, cobiçadíssimo pelo Centrão, foi repassado pelo PP para Fernando Leão, nome indicado por Oliveira. O deputado pernambucano foi aquinhoado com o poderoso cargo num gesto do PP para ampliar sua influência sobre legendas menores, mas que fazem parte do mesmo grupo político. Oliveira hoje pertence ao PL, mas está se mudando para o Avante, que pertence ao bloco parlamentar do PP na Câmara.

A Operação Outline investiga supostos desvios em contrato de R$ 190 milhões para requalificação da BR-101, no trecho do Contorno Viário da Região Metropolitana de Recife. A PF fez hoje buscas nos endereços do deputado em Recife, Gravatá e Brasília. O deputado foi secretário de Transportes de Pernambuco, de 2015 a 2018.