Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Do Marcelo: Economia pode assombrar o governo?

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

A combinação entre o efeito coronavírus com as incertezas da política interna brasileira fez com que o mercado derretesse nessa quarta-feira, com uma queda de 7%. Além disso, a cotação do dólar também disparou superando a marca de R$ 4,44. Com isso, ficou no ar a dúvida se isso representa um problema pontual e que pode ficar para trás em breve ou se essa instabilidade, apontada hoje no mercado, veio para ficar.

Movimentação na Bolsa de Valores em São Paulo

Bolsa de Valores em São Paulo Foto: Werther Santana/Estadão

Ainda não é possível prever o estrago que o coronavírus vai causar na economia mundial e, por tabela, na brasileira. Mas tudo indica que o impacto será grande e deverá refletir numa queda do crescimento do PIB em 2020. Não é à toa que as previsões para a economia brasileira em 2020 já foram revistas para baixo. Mas outra dúvida importante é em relação ao prejuízo causado  a política interna, especialmente no caso das reformas. Com Bolsonaro divulgando vídeos sobre a manifestação contra o Congresso, como revelou o BRP, o relacionamento do Executivo com o Legislativo volta a azedar e pioram as chances de aprovação de propostas fundamentais para a retomada da economia, como as reformas tributária e administrativa, além da PEC Emergencial, por exemplo.

Se a economia patinar de vez, o governo, que já não possui articulação política e tem dependido do interesse do Congresso pela sua agenda para vê-la avançar, estará em maus lençóis. Sempre é importante lembrar que a perspectiva de recuperação da economia tem sido uma das maiores âncoras do governo Bolsonaro. Se o mercado continuar seguindo no mesmo ritmo dessa quarta, as chances de crescimento começam a se tornar cada vez menores.